Marquise do Parque do Ibirapuera reabre com poças e passará por nova reforma

Após três anos de reforma e R$ 14,6 milhões, a marquise do Ibirapuera foi reinaugurada na última sexta-feira (14), mas já terá de passar por uma nova obra: trechos do local apresentaram pontos de alagamento e há goteiras em um dos pilares.

Na tarde de sexta, enquanto muitos frequentadores estreavam o novo espaço no Parque do Ibirapuera (zona sul de São Paulo), reinaugurado horas antes pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD), a água brotava do piso recém-reformado.

Skatistas desviavam das poças no meio da estrutura.

OBRAS SEM PRAZO

A Secretaria da Infraestrutura Urbana e Obras admitiu os problemas e disse que parte do local terá de ser interditado. Não há prazo para a conclusão das novas obras.

A Marquise José Ermírio de Moraes foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012) e foi inaugurada inicialmente em 1954. Tem uma área de 26 mil m².

A obra de revitalização foi um projeto que incluiu troca de piso, rede elétrica, reparação da rede hidráulica, impermeabilização da superfície, manutenção dos banheiros, pintura e iluminação com lâmpadas LED.

A intenção era evitar deterioração, marca de umidade e infiltração, justamente o primeiro problema encontrado no dia da inauguração.





“Antes [da obra] quando chovia alagava a marquise toda. Está melhor”, Per Canguru, 41, skatista profissional.

Já o skatista Luciano Xu Huang, 18, ficou impressionado com o alagamento. “Mas como? Os caras acabaram de abrir [a marquise]”, disse Huang.

O garoto também achou o local sujo. “Sempre vim aqui na marquise, desde pequeno. Voltou um pouco a ser como antes, mas ainda está muito sujo, têm que limpar para voltar a ser o que era”, disse.

A professora do 1º ano Mônica Santana acompanhava 12 crianças que foram ao parque para um piquenique, mas acabaram ficando presos embaixo da marquise por causa da chuva. Ela também considerou o lugar sujo.

“Mas é ótimo ter um refúgio”, disse a professora.

Mesmo com orientação contrária, usuários do longboard (skate de prancha maior) utilizavam a marquise. Ciclistas também foram vistos no local, apesar da recomendação de que devem usar a ciclovia do parque.

“A chuva abriu a exceção”, disse um ciclista que não quis se identificar.

A reforma da marquise foi concluída com quase um ano de atraso –a data inicial de entrega era 25 de janeiro.

Fonte: Folha.com





Deixe seu comentário