Moema: manobrista que disparou acidentalmente contra adolescente de 15 anos se apresenta à Polícia

O manobrista que disparou acidentalmente um tiro que acabou matando um adolescente de 15 anos dentro de um estacionamento de Moema, nesta terça-feira, se apresentou à polícia na manhã desta quinta. Gilvanio Vieira dos Santos tinha levado uma garrucha antiga ao local para mostrar aos amigos, mas ela estaria carregada e disparou. O tiro atingiu o coração do estudante Fabrício Gonçalves de Oliveira, que morreu em seguida. O manobrista prestou depoimento no 27º Distrito Policial, no Campo Belo, Zona Sul da capital paulista, e foi liberado em seguida. Ele deixou a delegacia muito abalado e chorando.

Fabrício Gonçalves de Oliveira havia ido visitar o avô, que é dono de um lava-rápido que funciona no mesmo local.

Gilvanio teria levado a arma antiga, uma garrucha calibre 22, para mostrar a amigos no estacionamento, que fica no subsolo de um prédio comercial na Avenida Ibirapuera. A arma tem capacidade para apenas dois tiros. O disparo teria ocorrido quando a garrucha era mostrada ao adolescente, por volta de 15h40m desta terça-feira. Câmeras de segurança gravaram quando um disparo foi efetuado e o adolescente caiu no chão. A mãe do garoto, que também estava no local, correu para socorrê-lo.





Giovanio ajudou a socorrer o adolescente, que foi levado ao Hospital Alvorada, a apenas três quadras do estacionamento. Em seguida, escondeu a arma e fugiu. O tiro acertou o coração de Fabrício, que não resistiu e morreu.

A PM fez uma varredura no estacionamento e achou a arma dentro de um saco, no subsolo.

A arma foi apreendida e encaminhada para perícia. O caso foi registrado no 27º Distrito Policial. O delegado pediu perícia para o local e exame necroscópico da vítima, além das imagens gravadas pelas câmeras de segurança do local.

Segundo a delegada Maria Cristina Andrade, é preciso saber se o manobrista tinha registro e documento de posse de arma.

Nesta quarta, o estacionamento do prédio, que fica na esquina da Praça Nossa Senhora Aparecida, funciona parcialmente. O segundo subsolo, onde ocorreu o disparo, permanece interditado pela polícia.

Fonte: O Globo





Deixe seu comentário