Prefeitura investiga se houve erro em atendimento a homem morto no Parque do Ibirapuera

A assessoria de imprensa da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente informou que investigará se houve algum erro no manuseio dos equipamentos usados no atendimento prestado ao homem de 53 anos que morreu depois que passou mal enquanto caminhava pelo Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, na manhã de sábado (25).

De acordo com o órgão, há duas ambulâncias que prestam serviço no parque: uma do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e outra contratada pela secretaria. Quando ocorreu o incidente, o socorro foi prestado pela contratada, pois a do SAMU estava atendendo um adolescente que havia caído de um skate nas proximidades do parque.





Informações preliminares apontaram que a unidade de atendimento não tinha desfibrilador, equipamento eletrônico cuja função é reverter um quadro de parada cardíaca. Caso se comprove que houve algum erro no socorro da vítima, o responsável será punido, de acordo com a secretaria.

A família do homem não registrou boletim de ocorrência, e o laudo com a causa da morte foi elaborado por médicos do Hospital Alvorada, onde ele morreu. De acordo com a assessoria de imprensa da unidade de saúde, os familiares não permitiram que nenhuma informação sobre ele fosse divulgada, como local de velório e enterro.

Fonte: R7





Deixe seu comentário