Sujo após chuva, lago do Parque do Ibirapuera já ganha contêineres para limpeza inédita

No dia em que começaram os preparativos para o desassoreamento do lago 1 do Parque do Ibirapuera, na zona sul da capital, os três espelhos d”água amanheceram tomados por lixo. Garrafas PET, embalagens de salgadinhos, pratinhos de plástico, papéis e galhos de árvores foram levados aos lagos pelas águas do Córrego do Sapateiro. Apesar do acúmulo de sujeira, a Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente afirma que o cronograma das obras de limpeza – que deverá durar quatro meses – não será afetado pelo período chuvoso.





A preparação para o desassoreamento inédito do lago 1 do Parque do Ibirapuera começou anteontem com a instalação dos três contêineres que formam o canteiro de obras. Mas antes de retirar as 4 mil toneladas de resíduos será necessário fazer a limpeza manual. Apesar de receberem limpeza diária, com a retirada de cerca de 15 quilos de lixo, os três lagos interligados do parque acumulam troncos, garrafas PET e outros materiais. No caso do lago 1, eles terão de ser retirados pela equipe responsável pela obra para que os peixes possam ser transportados para o lago 2, antes do processo de desassoreamento.

“Os troncos são muito antigos, árvores que caíram há muitos anos. Faremos uma análise precisa para verificar o peso. Os mais leves poderão ser retirados manualmente mesmo. No caso dos maiores, ainda veremos como serão retirados. Para espetar as garrafas usaremos um arpão”, explica Fernanda Frediani, gestora ambiental da VA Saneamento Ambiental Ltda. Segundo ela, a montagem dos tapumes nas margens do lago deverá ser iniciada na próxima terça-feira.

Fonte: O Estado de S. Paulo





Deixe seu comentário