Ciclovia do Parque do Ibirapuera será reformada

A ciclovia do Parque do Ibirapuera, na zona sul, vai ser reformada pela primeira vez desde a inauguração, em 2004. A restauração da pista será possível por causa de uma parceria entre a Prefeitura e a Volkswagen do Brasil, que vai financiar as obras. A sinalização precária e desníveis da pista são os principais problemas, dizem ciclistas.

Segundo a Prefeitura, as obras devem começar em setembro e durar 120 dias. A pista – usada por 100 mil pessoas por mês, de acordo com a administração do parque – não será interditada. “Não dá para interditar tudo. Vamos ter de respeitar o fluxo de pessoas”, afirma o administrador do parque, Heraldo Guiaro. “Algum incômodo (vai haver), mas sem grande impacto.”

A reforma é bem-vinda pelos usuários. “(A pista) está mal sinalizada, tem muita gente que entra na contramão”, diz a comerciante Silvia Ceruti, de 45 anos. Os ciclistas novatos do Ibirapuera também percebem problemas na pista. De férias, a gerente comercial Lidiane Prudêncio, de 33 anos, deixou o Tremembé, na zona norte, para pedalar no parque. “Pelo pouco que andei, percebi problemas na sinalização.”





Melhorias. Além de sinalização e asfalto novo, os três quilômetros de pista e as entradas da ciclovia pelos portões seis, nove e dez do parque vão ganhar três calibradores de pneus, jatos d”água, placas com marcação de distância e totens com informações de alongamento para a prática de exercícios físicos e dicas de segurança.

O termo de cooperação entre a montadora e a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente foi assinado no dia 12. O valor da obra não foi divulgado. Em troca, a empresa poderá estampar seu logotipo nos equipamentos da ciclovia.

A reforma foi dividida em cinco fases: eliminação de pontos de acúmulo de água; nivelação do trajeto; readequação das guias e sarjetas; recapeamento do asfalto e pintura e sinalização.

Diretor do Instituto Ciclobr, André Pasqualini defende que, além dos reparos, a ciclovia seja demarcada por cones nos fins de semana. “Não sei se a reforma vai resolver o problema do sábado e domingo. É muita gente, as pessoas invadem a ciclovia.”

Fonte: Agência Estado





Deixe seu comentário